CNC divulga pesquisa de endividamento e inadimplência;

 

A Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (PEIC), apurada pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), mostra que o percentual de famílias endividadas em Campo Grande teve um aumento no mês de outubro com 58,6%% ante 56,7% do mês anterior, e acima do registrado em outubro do ano passado quando foi de 58,1%.

Em números absolutos, são 182.067 famílias endividadas, seja com cartões de crédito (68,1%), carnês de lojas (19,2%), financiamento de casa (16 %) e prestações de carro (14,4%).

Para a economista do Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento da Fecompercio-MS (IPF MS), Daniela Dias, um aspecto positivo é que os indicadores de inadimplência e de contas em atraso mantiveram-se praticamente estagnados. “Isso leva a dizer que tudo bem se endividar, desde que consiga pagar, ou seja, que haja um consumo consciente”. Ela lembra que neste segundo semestre, o apelo comercial é mais forte e, por isso, tradicionalmente o consumo também é maior, gerando um crescente endividamento da população. “O importante é que se houver endividamento, há necessidade de que ele não provoque o desequilíbrio orçamentário das famílias”.

Entre os que possuem dívidas em atraso, o maior percentual está na faixa que recebem até 10 salários mínimos, 59,4%. Também é essa faixa que acumula o maior índice dos que acreditam não terem condições de pagar as dívidas em atraso no próximo mês, 37,8%. Entre os que responderam ao questionário, 48,9% afirmam que as dívidas estão em atraso há mais de 90 dias.

PEIC OUTUBRO