Comércio de Campo Grande vai receber quase R$ 200 milhões no período de fim de ano

Não há dúvidas de que os efeitos da pandemia recaíram sobre a economia e a vida das famílias campo-grandenses. Mas a pesquisa de intenção de compras para o período de festas de fim de ano do Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento da Fecomércio (IPF/MS), em parceria com o Sebrae, aponta que – mesmo assim – o espírito natalino estará presente. E trará presentes e comemorações.

Segundo o levantamento, mesmo com 32% da população reconhecer que perdeu renda durante os últimos 9 meses, o final de ano irá movimentar R$ 193,79 milhões no comércio, volume 33% menor que o do ano passado. O gasto médio, tanto com presentes e insumos para festividades, será de R$ 833,45, 16% menos que o registrado em 2019 no mesmo período.

Desse total, no período do Natal, segundo os entrevistados, vão ser injetados R$ 72,87 milhões, destes R$ 27,26 milhões (-70%) destinados a compra de presentes e R$ 45,62 milhões (-40%) a comemorações.

Para o Ano Novo, a previsão é de um montante de R$ 120,92 milhões. 72% dos entrevistados afirmam que vão comemorar a chegada do próximo ano de alguma forma, seja com amigos ou familiares mais próximos (60%).

Produtos Natalinos – Para presentear, o campo-grandense segue a tendência de preferência tradicional com roupas, calçados e acessórios (44%). Na sequência, brinquedos (35%), móveis e eletroeletrônicos (15%). A maioria (78%) afirma que prefere comprar em lojas físicas.

Comemorações – A pesquisa aponta que 36% dos entrevistados afirmam que farão as festividades em casa. “Isso é um indicativo para que os empresários do segmento supermercadistas ou mesmo de restaurantes apostem em proporcionar uma experiência para esse consumidor, oportunizando sugestões de produtos, viabilizando receitas que possam utilizar os produtos que são encontrados em seu negócio”, sugere a economista do Sebrae/MS, Vanessa Schmidt.

A economista do IPF/MS, Daniela Dias, afirma que os empresários do varejo devem investir também em qualidade, preço e diversidade de produto. “A pesquisa mostra que os entrevistados querem variedade (27%), preços facilitados (como crediários e parcelamentos) e não vão se descuidar da qualidade do atendimento (16% e do preço (12%). Por isso, cuidar do estoque, capacitar suas equipes de atendimento e vendas e, é claro, mostrar isso ao cliente, deve fazer parte da sua rotina. Tudo para dar tranquilidade para esse consumidor”.

Confira pesquisa na íntegra: Natal e Ano Novo 2020 – Campo Grande