Consumidores poderão renegociar dívidas diretamente em feirão na Capital

Consumidores de todo País podem renegociar dívidas atrasadas e/ou negativadas através do site do Serasa Limpa Nome. Além disso, como uma alternativa para quem não tem acesso à internet, a agência da Serasa em Campo Grande irá receber e auxiliar consumidores em suas negociações. Em dezembro de 2019, segundo a Serasa, a Capital tinha 320.303 inadimplentes em todos os segmentos. O endereço do Serasa na Capital fica na Rua Barão do Rio Branco, 2199 loja 03, Centro.

No evento anterior, realizado em novembro, que foi considerado como o maior feirão da empresa até o momento, mais de 4 milhões de acordos foram fechados, resultando em mais de 5 bilhões de reais em descontos concedidos.

O Serasa Consumidor destaca nesta edição que as dívidas de empresas já estão disponíveis para negociação dentro do Serasa Limpa Nome. Para esse formato, a plataforma já oferece parceria com 4 empresas: Recovery, Claro, Net e Ativos.

Para Lucas Lopes, diretor do Serasa Limpa Nome, esse é mais um grande passo rumo ao objetivo da empresa, que é devolver o crédito justo para as pessoas: “Incluir dívidas de empresas era um grande desejo que tínhamos e não medimos esforços para integrar mais esse serviço para a população de forma gratuita e segura, dentro de nossa plataforma. Temos certeza de que ajudaremos muitos empreendedores pelo Brasil e essa é a nossa principal característica, desenvolver soluções para quem deseja retomar sua vida financeira de forma rápida, justa e segura”, afirma Lopes.

Mapa da inadimplência – Segundo estudo desenvolvido pela Serasa Experian, em dezembro de 2019, o número de consumidores inadimplentes no país chegou a 63.3 milhões, 1.5% a mais do que em dezembro de 2018, quando eram 62,4 milhões. O montante alcançado pelas dívidas até dezembro de 2019 foi de R$ 256 bilhões, com o valor médio de R$ 4.043,00.

A maior concentração dos negativados tem entre 26 e 40 anos (37% do total). Em segundo no ranking de participação entre os inadimplentes estão pessoas de 41 e 60 anos, que correspondem por 34,2% do total.

Questões de gênero, a inadimplência está dividida praticamente por igual: 48,3% são homens, e 46,6% são mulheres. A maioria das dívidas foi contraída junto aos setores bancários e de cartão de crédito, totalizando 27,8% do total. O setor de contas básicas, como energia elétrica, água e gás respondeu por 20,4% do total de débitos em atraso. O setor de varejo alcançou 12,3% do montante. Já o setor de telefonia respondeu por 11% da inadimplência.

Fonte: Campo Grande News