Dia das Crianças deve movimentar R$ 37,2 milhões na Capital

O Dia das Crianças deve trazer uma maior movimentação na economia de Campo Grande neste ano, totalizando R$37,24 milhões, desses 67,77% (R$25,23 milhões) serão destinados a presentes e 32,23% (R$12,00 milhões) às comemorações. É o que mostra a pesquisa do Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento da Fecomércio-MS (IPF-MS) e Sebrae MS. A pesquisa tem como proposta fundamentar os empresários para a tomada de decisões e mostrou aspectos importantes, dentre eles o fato do preço ser o principal determinante para as compras e que, mesmo com as obras do Reviva Campo Grande, praticamente, não houve alterações nas pretensões de compra na região central, apontada como preferência por 79,31% dos pesquisados.

Para aqueles que estarão dispostos a presentear, as preferências se voltarão a brinquedos (49,57%), roupas (36,32%) e calçados (6,84%). As compras ocorrerão na semana do evento (63,40%), em lojas do centro (79,31%), utilizando o dinheiro como forma de pagamento (84,50%). Para tanto, serão levados em consideração o preço (31,91%), produto (29,18%) e o atendimento (24,32%), elementos esses também admitidos como mecanismos para surpreender os consumidores.

“Observa-se, nesse contexto, que o dinamismo econômico proveniente do dia das crianças possui uma maior participação da compra de presentes. Presentes esses que em sua maioria se voltarão a brinquedos, roupas e calçados. Além disso, os passeios estarão entre as principais formas de comemoração”, diz o presidente do IPF-MS, Edison Araújo.

Tanto as compras de presentes, quanto as comemorações terão aumentos. Apesar dos resultados mais otimistas, percebeu-se uma redução do número de pessoas que tenderão a presentear. Fato esse que inspira cautela e desenvolvimento de estratégias empresariais.

Essas estratégias poderão se embasar, na observação comportamental. Como, por exemplo, historicamente, a maioria dos idosos (aqueles que possuem mais de 60 anos) tendem a presentar no dia das crianças. A preferência por passeios também se comporta como outra importante variável, que para esse evento tende a sobressair aos demais. No que diz respeito a forma de pagamento, o dinheiro continuará prevalecendo, no entanto, aumentou a busca pela pretensão de utilização do cartão de crédito e parcelamento.

Outras questões se voltam ao fato de que muitos indicadores econômicos ainda estão aquém do esperado, mas melhoraram significativamente. De modo que indicadores como a inadimplência reduziu, a evolução do emprego (diferença entre admissões e demissões) e as pretensões de contratação aumentaram. As incertezas políticas ainda exercem seus efeitos e os vendedores, bem como os empresários poderão ter o papel de conselheiros, tentando transmitir maior credibilidade, confiança e esperança aos potenciais consumidores.

 Confira a pesquisa na íntegra: