Endividamento cai para o menor nível desde fevereiro de 2021

O índice de endividamento das famílias campo-grandenses ficou em 61,9% neste mês de janeiro, o menor desde fevereiro do ano passado, de acordo com a pesquisa da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). Também caíram os indicadores de inadimplência, os que informaram estar com contas em atraso  passaram de 33,6% a 32,5% e o índice dos que informavam que não teriam condições de pagar ficou estável, em 13,5%.

“É um  movimento esperado nos primeiros meses do ano porque muitas pessoas aproveitam o décimo terceiro salário para organizar a vida financeira e iniciar o ano com crédito”, observa o presidente do Instituto de Pesquisa da Fecomércio MS, Edison Araújo.

A pesquisa sazonal de intenção de compras para o Natal do IPF-MS mostrou que 44,90% dos entrevistados iriam receber o 13º salário, sendo que 22,70% tinham intenção de guardar o recurso; 18,20% usar para pagar contas a vencer, e 17,50% para pagar as contas em atraso.

Conforme a pesquisa da CNC, o cartão de crédito segue como principal meio de endividamento, apontado por  64,6% dos entrevistados, seguido dos carnês (20,4%) e financiamento da casa (12,3%).

São consideradas dívidas cheques pré-datados, cartões de crédito, carnês de lojas, empréstimo pessoal, prestações de carro e seguros.

Confira a pesquisa:

PEIC janeiro de 2022