Mais de 20 sindicatos empresariais vão ao Supremo para derrubar IGP-M

O Sindivarejista-DF e mais 24 sindicatos empresariais do Brasil entraram com ação no Supremo Tribunal Federal contra a aplicação do IGP-M no reajuste dos aluguéis dos imóveis. Para o setor, a aplicação de um valor superior a 30% deixa clara a distorção do índice em relação à realidade econômica brasileira ao não retratar a inflação anual real.

“O IGP-M, índice de reajuste dos aluguéis, acumula 37% nos últimos 12 meses e afeta negativamente milhares de comerciantes e famílias no país, que dependem de locação comercial e residencial”, aponta Edson de Castro, Presidente do Sindivarejista-DF.

As empresas pedem a substituição do IGP-M pelo índice IPCA. A causa ganhou apoio do Partido Socialista Democrata (PSD), que assumiu a autoria da demanda. Dessa forma, os sindicatos passaram a integrar as ações judiciais na condição de amicus curiae.

“A substituição do IGP-M por um índice mais real dará às partes do contrato de locação melhor equilíbrio, possibilitando às empresas se manterem financeiramente para o exercício de suas atividades, reforça Edson de Castro.

 

Fonte: Correio Braziliense