Páscoa deve movimentar mais de R$ 53 milhões em Campo Grande neste ano

As comemorações no período da Páscoa devem movimentar mais de R$53 milhões no comércio de Campo Grande este ano, segundo aponta a pesquisa desenvolvida pelo Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento da Fecomércio-MS (IPF-MS) e Sebrae MS. Os valores consideram compras de presentes, como ovos de chocolate e bombons, e gastos com alimentação relacionados à comemoração do período. Desse total, R$33,02 milhões devem ser gastos com ovos e chocolates e R$20,26 milhões com comemorações.
Segundo a pesquisa, 63% dos entrevistados pretendem presentear com chocolates e gastarão em média R$133,59, valor maior que do ano de 2020 (R$123,38). As compras devem ser feitas presencialmente, nas lojas físicas (68%).  A pesquisa foi realizada entre os dias 10 de fevereiro e 01 de março e ouviu 1.686 pessoas em Mato Grosso do Sul, com margem de 95% de confiança.

Quanto às comemorações, 53% dos campo-grandenses pretendem fazer algum tipo de comemoração durante o período de Páscoa e o gasto médio será de R$98,35. De acordo com o levantamento, a maioria das pessoas (27%) pretende comprar dois ovos de páscoa, seguido por quem pretende comprar três (23%), sendo que filhos (61%), sobrinhos (32%) e cônjuges (29%) serão os mais beneficiados. A alimentação em casa será priorizada por 82% dos entrevistados e o peixe não poderá faltar para 43% deles.

“Podemos esperar mais um ano desafiador nas vendas em um período sazonal, mas ao mesmo tempo com melhores intenções de consumo, e isso é animador. O ano de 2020 foi bem atípico e o cenário atual ainda é muito instável. Como mostra a pesquisa, o consumidor prefere ir até a loja escolher seus produtos, então é importante preparar espaços atrativos e com muita segurança, com os cuidados necessários na prevenção da Covid-19. Mas tem um percentual importante (22%) que pretende comprar por meio virtual, então é preciso preparar os canais online também, para atender esse consumidor”, alerta a economista do IPF-MS, Daniela Dias.

Confira  a pesquisa na íntegra: