Prefeitura ouve população para melhorar região urbana do centro

A Prefeitura iniciou nesta quarta-feira (11) a 3ª etapa do Plano de Desenvolvimento da Região Urbana do Centro de Campo Grande, que concentra cerca de 70 mil habitantes, distribuídos em 13 bairros. A partir desta quinta-feira (12) começam entrevistas nos próprios locais, nos quais pesquisadores percorrerão a toda a região.

Além disso a população poderá apresentar propostas de intervenções urbanas e projetos de melhorias pelo link reviva.campogrande.ms.gov.br.

Nesta quinta, a equipe de entrevistas estará das 8h às 12h percorrendo a região do Mercadão e da Praça Ary Coelho. Na sexta-feira, os entrevistadores estarão circulando a região da Praça dos Imigrantes nas ruas Joel Dibo e Barão de Melgaço e ainda na sexta, das 14h às 18h, as entrevistas serão na região das ruas Aquidauana, Barão do Rio Branco, e Travessa Lazaro Gonçalves Martins.

A subsecretária de Gestão e Projetos Estratégicos, Catiana Sabadin explica as ações que já tem para a região. “Estamos construindo o Planejamento urbano em conjunto com a população e algumas iniciativas já estão em andamento como a revitalização do quadrilátero formato pelas ruas Fernando Correia da Costa, Calógeras, Mato Grosso e José Antônio, além da revitalização da antiga Rodoviária, retomada das obras do Centro de Belas Artes e a construção de 498 apartamentos para população de baixa renda no bairro Cabreúva”.

Nas etapas anteriores, os campo-grandenses puderam colocar o que fazem no centro, como moradas, visitas e compras, e na 2ª etapa teve rodas de conversas temáticas virtuais. A ação está sendo coordenada pela Subsecretaria de Gestão e Projetos Estratégicos (Sugepe) e pela Agência Municipal de Planejamento Urbano de Campo Grande (Planurb).

Sobre o Plano Local de Desenvolvimento

O Plano se baseia em cinco pilares, tidos como objetivos: a ampliação de moradias na área central; o fomento ao desenvolvimento econômico, social e cultural do Centro; a melhoria dos espaços públicos e da mobilidade na área central; a preservação dos bens culturais, materiais e imateriais, presentes no perímetro da área central, e a atualização da legislação urbanística incidente sobre a área de intervenção.

O Plano Local de Desenvolvimento da Área Central visa ampliar a quantidade de moradias no centro, fomentar o desenvolvimento econômico, social e cultural na região, efetivar a preservação dos bens culturais, materiais e imateriais, presentes na área e atualizar a legislação urbanística do local. A elaboração do Plano Local de Desenvolvimento da área central faz parte do Programa Reviva Campo Grande.

Fonte: PMCG