Confiança do empresário do comércio da Capital atinge menor nível em cinco anos

Os impactos na economia da pandemia da Covid-19 já refletem no ânimo dos empresários do comércio de Campo Grande. Segundo dados do Índice de Confiança do Empresário do Comércio (ICEC), no mês de maio, o índice atingiu o menor nível dos últimos cinco anos, com 81,8 pontos, bem abaixo da zona positiva, que é de 100 pontos. Os dados são da  da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).

Em novembro de 2015, o ICEC chegou a 81,2 pontos, período que coincide com o início da crise econômica no País, o menor da série histórica da pesquisa que mede o índice, iniciada em 2011. A queda do ICEC na Capital acompanha o que foi verificado em âmbito nacional pela CNC, que registrou sua maior queda mensal desde o início da realização da pesquisa, atingindo o menor nível desde setembro de 2016.

“Sem perspectivas para a retomada do crescimento da economia, é natural que a confiança do empresário fique abalada. Vivemos um momento de instabilidade e o comerciante está mais cauteloso, observando piora nas condições atuais. Mas é importante frisar que são em situações como essas que a gente se reinventa, encontra meios para driblar a crise, por mais difícil que seja. Percebemos um aumento nas vendas on-line e o empresário precisa se adaptar a essa nova demanda do consumidor”, avalia a economista do Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento da Fecomércio-MS (IPF-MS), Daniela Dias.

Dentre os indicadores que apresentaram os piores índices, estão a contração de funcionários e o nível atual de investimentos. A pesquisa aponta ainda que as empresas com mais de 50 empregados tiveram um índice mais significativo, de 105,3 pontos, já as que têm menos, o índice alcançou 81,3 pontos.

Confira o estudo na íntegra:

Icec_maio