Vendas do e-commerce brasileiro crescem 27% em 2021, diz Ebit

As vendas do e-commerce brasileiro no ano passado cresceram 27% na comparação com 2020, para R$ 182,7 bilhões, impulsionadas pelo forte desempenho das categorias de alimentos e bebidas e produtos de giro rápido. A informação consta do Webshoppers, relatório elaborado pela NielsenIQ/Ebit.

O crescimento das vendas no ambiente on-line foi acompanhado de um número expressivo de novos consumidores. Foram 12,9 milhões de brasileiros que compraram pela primeira vez no ano passado, elevando o total para 87,7 milhões de consumidores.

O ticket médio geral das vendas ficou em R$ 441, alta de 4% na comparação com 2020. Já os novos entrantes gastaram um valor médio levemente superior, R$ 454.

O e-commerce cross-border, aquele realizado com lojas on-line de outros países, apresentou um crescimento expressivo em 2021, acima do total geral do mercado brasileiro. Em relação a 2020, houve um aumento de 60% no faturamento, alcançando R$ 36,2 bilhões.

CATEGORIAS

O destaque de 2021 foi a categoria de Alimentos e Bebidas, que registrou aumento no volume de pedidos de 107% sobre o ano anterior. A alta dessa categoria foi muito superior ao do restante do espectro do e-commerce.

Por exemplo, a categoria Bebê & Cia avançou 34%, Construção & Ferramentas, 31%, e Informática, 24%.

No entanto, como produtos alimentícios e bebidas têm um valor menor, a contribuição geral para o faturamento do e-commerce é reduzida, apenas 2%, número igual ao de 2020, aponta o relatório.

O principal motor do volume de vendas ainda são as categorias de Eletrodomésticos (21%), Telefonia (20%), Casa e Decoração (11%) e Informática (10%).

“O e-commerce ainda é associado a eletrônicos, celular e eletrodomésticos, mas a grande movimentação mesmo está ocorrendo nos alimentos e bebidas. Esse é um hábito que se consolidou em 2021: o brasileiro fazendo nas plataformas digitais suas compras de mercado para se abastecer”, afirmou o head de e-commerce da NielsenIQ/Ebit, Marcelo Osanai.

Produtos de giro rápido, normalmente vendidos em mercados, por exemplo, tiveram alta de 41,1% no e-commerce em 2021, na comparação com o ano anterior.

Na parte de alimentos, a maior expansão nas vendas aparece em Hortifrutigranjeiros (119,4%), Sobremesas & Confeitaria (50,8%), Bomboniere (48,9%), Matinais (29,2%) e Mercearia (22,7%).

Fonte: Diário do Comércio